Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2015

O Novo Eu

“A vitória sobre si mesmo é a maior de todas as vitórias.” [Buda]


Eu não sei nadar. Consequentemente, os maiores perrengues no Rally M+is – Transamazônica foram as travessias dos rios que cortam a BR – 230 onde, ainda, não existem pontes. Aliás, uma precária ponte de madeira me dava mais segurança que uma grande balsa de aço, com capacidade para centenas de toneladas, empurrada por um rebocador.
Medo de acidentes; medo de noites ao relento; medo da fome; medo da sede; medos diversos... Pavor de águas profundas.
Do banco do carona, quase vi concretizado, por duas vezes, o meu medo de acidentes, provavelmente, da primeira “oportunidade” eu não sairia vivo para contar a história;
Deitado em uma rede emprestada; num colchão improvisado com uma lâmina de espuma ou mesmo sentado em uma poltrona de plástico, minhas noites ao relento foram experiências enriquecedoras na companhia de vigias, frentistas, caminhoneiros e outros viajantes. Com eles substituí o medo pela solidariedade e pelo companheir…

Estrelas, Grilos e Maritacas

“O segredo da criatividade está em dormir bem e abrir a mente para as possibilidades infinitas. O que é um homem sem sonhos?” [Albert Einstein]

A primeira noite ao relento é um batismo de fogo. Não há nada de romântico ou aventureiro em se entregar ao sono, estando sem a proteção de quatro paredes. Os tempos de acampamento na praia da adolescência de nada serviram. A sensação de medo de deixou alerta como nenhum outro estimulante; todos os sentidos em alerta máximo; a tensão fazia com que eu não conseguisse sequer sentar: a vigília seria de pé!
Tudo planejado e executado nos mínimos detalhes: local, hora, uma boa rede, cobertor, segurança a alguns metros do local, noite agradável de um céu estrelado e grilos cantantes, mas tudo que eu queria era ouvir o mavioso canto dos pardais anunciando a alvorada.
Depois de um cansativo dia na estrada, eu precisava dormir; a jornada no dia seguinte seria mais desgastante: eu precisava descansar. Como de costume deitei por volta das 11:30, como de cost…

Com Fome, Eu não sou Eu

Lançada em 2010 nos EUA, a Campanha “Você não é você quando está com fome”, um conceito criado pela BBDO, para promover o chocolate (lanche) Snickers, já criou algumas polêmicas. O tema certamente tem panos para as mangas; dá asas à criatividade de marqueteiros ávidos por um bom disse-me-disse.
Dia desses, estava eu sentado na frente do meu almoço, às 14:00, azul de fome, pronto para atacá-lo, quando de relance avistei um Promotor de Vendas com uma blusa onde lia-se o tema da polêmica Campanha. Num flash, viajei para a Cordilheira dos Andes, no início da década de 70, quando com fome, abastados jovens, quase todos de famílias ricas e de classe média alta de Montevidéu, deixaram de ser eles mesmos; deixaram, pelas regras correntes da civilidade, de ser seres humanos e transformaram-se em bestas antropofágicas. Bem, a lembrança foi bem indigesta, mas a fome era grande e a comida estava mais apetitosa que meus pruridos éticos.
Saciar a fome é uma das mais primitivas necessidades do ser hum…

Fí-lo porque quí-lo!

Conta a lenda que o ex-presidente Jânio Quadros quando perguntado porquê teria feito “qualquer coisa”, prontamente respondia:
- Fí-lo porque quí-lo!
Lendas à parte, esta resposta bem poderia ser atribuída a milhões de empreendedores mundo afora, para justificar a abertura de um negócio próprio, sem, aparentemente, qualquer estudo de viabilidade do empreendimento. Estas condições têm se repetido entre as dezenas de novos entrantes nos mais diversos segmentos do varejo, com os quais tive oportunidade de conversar sobre seus negócios; a motivação para empreender; as condições e recursos disponíveis; o formação e desenvolvimento de conhecimento sobre o negócio e, finalmente, o que eles pretendiam, suas visões de futuro. Em grande número a resposta é aplicável:
- Fí-lo porque quí-lo!
Recentemente conheci D. Tita que, juntamente com D. Jaciara, empreenderam no segmento de Fast Food com uma “Banca de Lanches” em uma movimentada avenida de uma cidade do interior, que se caracteriza por ser o cent…

As Tulipas

“Todos os pensamentos inteligentes já foram pensados: é preciso, apenas, tentar repensá-los.” [Johann Goethe]

Por volta dos 08 anos, iniciei, como aprendiz, minha vida profissional. Na época, acompanhava meu pai, alfaiate de profissão, que naquele momento trabalhava como cortador em uma indústria de confecções - roupas de carregação como dizia ele. Algumas peças de tecidos traziam pequenos encartes onde se lia citações diversas de grandes pensadores e minha diversão era colecioná-las. Daí nasceu minha paixão pela leitura e a minha fixação por citações. Citações que encabeçarão todos os Capítulos deste livro, para levar o leitor à uma viagem instantânea do que me move nessa Jornada.
Enquanto formava minha coleção, não fazia a menor ideia de quem eram os nomes que apareciam após as últimas aspas de cada frase. Minha curiosidade me levou á biblioteca da Escola onde iniciei meus estudos nas Ciências Humanas, ou melhor dizendo, meus estudos sobre a humanidade.
Meu interesse não eram os livros i…

Sorriso Gera Sorriso

“Conhecemos um homem pelo seu riso; se na primeira vez que o encontramos ele ri de maneira agradável, o íntimo é excelente”. [Fiódor Dostoiévski]

Há um sério problema nos Pontos de Venda, de todos os segmentos: os operadores não sabem, não querem ou não encontram razão para sorrir. Apatia e antipatia parecem ser “competências” que estão sendo, enfaticamente, requerida nos processos de Seleção dos Atendentes e Vendedores, tal é a disseminação dessa postura no momento do Atendimento ao Cliente.
De todas as notas negativas no Atendimento, a falta de cordialidade é a que mais me chama a atenção. Por muitos motivos, mas, principalmente, pela minha experiência particular com a simpatia, com o sorriso. Lá pela segunda metade dos anos 80, depois de um “papo cabeça” com um psicanalista, passei de “Yuppie Carrancudo” para “Grunge Sorridente”. Os colegas diriam que por culpa da crise dos trinta, eu, melhor dizendo, diria que "graças" à crise dos trinta. Aceitei o conselho do profissional …