Pular para o conteúdo principal

Eu, Político! (AP-II)


O homem é um animal político por natureza (Aristóteles); penso: eu sou um espécime desta "raça"; penso, logo existo (Descartes)... Como ser "pensante", não dá para escapar da constatação... HOLY SHIT eu sou um Ser Político!!! Simplificando a "shit" toda eu sou um político. Político, principalmente quando busco a convivência pacífica com meus semelhantes para atingir o meu objetivo de felicidade - voltando o pensamento para as "nóias" do Ari (stóteles). 

Outra constatação de que não consigo escapar é que a "pólis", mesmo que eu não necessite ou queira, hoje, está no mundo virtual, que tem as redes sociais como o underground do pensamento crítico filosófico, onde todas as Marias seguem na mesma direção. Além de Político me considero um Social Democrata, assim utilizando a segunda parte da minha ideologia política pratico o pressuposto de que posso não concordar com uma ideia, mas defenderei até a morte o direto da mesma ser expressa (Voltaire / Evelyn Beatrice Hall - Há controvérsias). Defendo a Liberdade de Expressão garantida em nossa Constituição Federal, apanágio de todo ser humano, sem distinção de quaisquer espécie, mas confesso sentir comichões e uma vontade louca de, nobremente, falar: Por qué no te callas?

A ideia que me traz essas elucubrações vespertinas, deve ter brotado numa mente brilhante o suficiente para ter a certeza de poder vender Geladeira a Pinguim. A ideia tem um tom intelectual para parecer vinda "dazelite" e talvez venha, já que nunca antes na história desse país, a "Elite" enfiou tanto o pé na jaca para fazer parecer que a ascensão social de milhões de brasileiros transformou a pirâmide social num quadrado! A ideia, finalmente indo ao ponto, é que estão usando "a Moral para substituir o Direito" com o intuito de condenar "o Pai do Povo" de qualquer jeito dando um "golpe" na Democracia.

Os comichões voltaram a todo vapor e eu vou parar por aqui pois já é chegada a hora da minha "Five O'clock Média com Pão (sem miolo) e Manteiga", mas eu volto, volto sim... Vocês, sem café, vão ter que me engolir (Mário Jorge Lobo Zagallo)!!! #partiupadaria

[Recife, 20 de janeiro de 2.018, 16:59]

Vital Sousa
Animal Político







Os Mais Lidos Da Semana!

Guia Melhores Práticas - Supermercados - Borbão Supermercado

Para começo de conversa, tenho a grata satisfação de dizer que o Ponto de Vendas, que provocou a situação que originou este texto, está localizado em uma Cidade do meu Estado Natal – na Cidade Natal seria querer demais, abusar da sorte. A Cidade chama-se Timbaúba, Zona da Mata Norte de Pernambuco, distante 100 km de Recife, com acesso pela BR 408. O Ponto de Vendas chama-se "BorbãoSupermercado". De propriedade do Varejista Alexandre, uma ‘cabeça’, difícil de ser encontrada, no segmento de Varejo Alimentar de Pequeno / Médio porte – o chamado Varejo de Vizinhança.
Identificada a Cidade e o Ponto de Vendas, identifiquemos a situação:
Visitando pontos de venda da Cidade para posicionar-me com relação a uma parceria com o CDL local, me deparo com um estacionamento muito bem organizado – que, inicialmente, identifico ser de um banco – observando mais atentamente vejo um funcionário recolhendo carrinhos de compras e recolhendo papéis jogados no chão (Detalhe 001). Identifico a loja …

O Cliente é o Patrão!

O Cliente é o, verdadeiro, Patrão! Início, meio e Razão de tudo”.
Sempre que se fala em Atendimento ao Cliente, invariavelmente, duas citações honrosas são obrigatórias: Sam Walton e Stew Leonard. Não serei exceção: vamos rever estas citações e discutir um pouco sobre a aplicabilidade das mesmas à realidade dos nossos pontos de venda, principalmente, no pequeno Varejo das periferias dos grandes centros urbanos e nas Cidades do interior.
Comecemos com a famosa frase de Sam Walton, fundador do Wal Mart: “Clientes podem demitir todos de uma Empresa, do alto executivo para baixo, simplesmente gastando seu dinheiro em algum outro lugar”.
Agora, para ratificar as palavras do Sam Walton, vejamos as regras, gravadas na Pedra do Compromisso na entrada das lojas Stew Leonard’s: 
“Regra 1 - O Cliente está sempre certo! Regra 2 – Quando o Cliente estiver errado, aplique a Regra 1”.
Agora, analisemos a nossa realidade como Clientes de algum ponto de vendas e imediatamente chegaremos à conclusão de que …

Informação é Poder!

“Informação é Poder. Do início ao “fim”, uma série de informações serão determinantes para a sustentabilidade do negócio”. 

Qualquer que seja o empreendimento, algumas perguntas deverão ser respondidas antes do atendimento do primeiro cliente. A própria definição de quem é o cliente, e suas necessidades, é uma informação que terá que ser determinada no início do negócio. O empreendedor se debruçará sobre os levantamentos de informações – sejam de que tipo for – que o levaram a empreender. Tipo de negócio, Localização, Clientes, Necessidades a serem atendidas, Mix de Produtos, Estrutura do Ponto de Vendas, Concorrência, são algumas informações que deverão ser levantadas e estudadas.
Num mundo cada vez mais conectado em Redes, é imprescindível que o empreendedor tenha uma atenção especial no levantamento de informações sobre o seu negócio. A velocidade com que ocorrem mudanças nos fatores decisivos para a sua manutenção e sucesso; a necessidade de criar estratégias para se diferenciar de …